Redução de danos / A mente e a experiência psicodélica

Por Sezaru Buraga 

É comum sentir que não há paz de espírito em estado ordinário da mente, mas esta sensação pode tomar proporções infernais quando se está sob um transe psicodélico.

Não são incomuns os relatos de pessoas que sentem a famosa confusão mental quando entram em transe induzido, e costumam culpar os psicodélicos por causa dos problemas decorrentes em seu interior, o que não é verdade.

Existem vários casos de induções que acabam descambando para doenças psicossomáticas, algumas tão graves que, de fato, se tornam uma viagem sem volta, no mau sentido da história.

Isso, no entanto, não é um padrão e ocorre bem menos do que o vulgo chega a imaginar. Em um universo de 100 pessoas que tomam algum psicodélico, temos menos de 0,01% delas surtando com problemas relacionados a estados mentais.

A maioria dos casos são contornáveis e carecem de uma maior acuidade consigo mesmo, o que envolve informação de qualidade sobre si e sobre histórico familiar, assim como sobre o tipo de molécula que se consome, e, acima de tudo, sobre o estado de transcendência: a experiência psicodélica.

 

Vou limitar-me ao LSD, que é uma molécula que provoca atividade transcendental em dosagens mínimas e tem um tempo relativamente longo de duração para produzir uma viagem com diversas mensagens internas codificáveis por cada indivíduo em separado.

Após administrar-se uma dose de LSD (geralmente em blotters e de maneira sublingual), o indivíduo se prepara para sua viagem psicodélica.

Vamos tratar aqui de psiconautas com pouca experiência, embora tais questões de transcendentalidade atinja até mesmo os mais experientes. Após administrar-se uma dose de LSD (geralmente em blotters e de maneira sublingual), o indivíduo se prepara para sua viagem psicodélica.

Os primeiros minutos são de pura angústia e ansiedade para quem toma pela primeira vez, diversas questões vêm à cabeça neste momento:

“será que não fui enganado e a pessoa não me passou um papel vazio? Como será a viagem? Vou ficar bem nela? Vou surtar? Vou morrer? Etc.

É fácil perceber que a falta de paz de espírito já incorre nos primeiros momentos de ingestão da molécula, o que na realidade remete a problemas decorrentes mesmo antes de tudo começar.

“o problema é a mente”

 

Segundo o Tantra, “o problema é a mente”. Bem, é importante neste momento ficar calmo e confiar que seu contato seja honesto. Se lhe passaram um papel vazio, o máximo que acontecerá é… nada.

Você terá um transtorno por ter perdido um pouco de dinheiro e ficará zangado, mas no fundo nada acontecerá, nem de bom e nem de ruim, ou melhor, você terá uma experiência de procurar encontrar seus contatos através de indicações de amigos seus, e não em buscas transloucadas pela web.

Bem, é importante neste momento ficar calmo e confiar que seu contato seja honesto

Bem, é importante neste momento ficar calmo e confiar que seu contato seja honesto

É muito comum pessoas que estão usando LSD pela primeira vez sentir-se lesadas por seus contatos, justamente por causa do papel de LSD ser inodoro e sem gosto.

O que a pessoa sente é um gosto de papel, nada mais. Isso causa um determinado incomodo inicial, já que muitas pessoas desconhecem ou têm pouca experiência com LSD, fazendo com que o contato seja maldito nos momentos de ansiedade.

 

Portanto, o que recomendo é calma. Dê o crédito para a pessoa, a princípio ela deve ser confiável, se você a encontrou em suas buscas e ela recebeu algum mérito na questão, acredite que tudo vai dar certo e que o papel que ela lhe vendeu contém LSD, e que nada adianta ficar ansioso, pois os efeitos não acontecem imediatamente como com o THC, leva em torno de 45 minutos a 1 hora para que os efeitos apareçam.

15 minutos

após a ingestão começa a rolar um leve torpor no cérebro, algo começa a acontecer no interior do futuro psiconauta, ele sente que o LSD está presente e acontece de sentir um pouco de incômodo, misturado com mais ansiedade e medo. É importante continuar relaxado.

A dúvida sobre ser ou não ser LSD já foram sanadas e o que foi ingerido é LSD, então agora é importante manter a calma e se preparar para o transe psicodélico, que durará de 4 a 12 horas, entre início, estado de pico e baixa nos efeitos. Algumas pessoas mantém a atividade mental por 24 horas, momento em que conseguem de fato dormir e descansar.

30 minutos

E uma modificação no globo ocular começa a ficar perceptível, as cores começam a ficar mais vivas, a luz parece incidir mais forte.

Tudo isso acontece por causa das pupilas que começam a dilatar e a receber mais luminosidade, captando mais as cores e formas que o ambiente tem. É natural neste momento começar uma crise de risadas sem sentido, de maneira descontrolável.
Tudo isso acontece por causa das pupilas que começam a dilatar e a receber mais luminosidade, captando mais as cores e formas que o ambiente tem

Na realidade, as risadas são explicáveis. Acontece que o psiconauta identificou que não foi enganado e conseguiu relaxar, ele sabe que está entrando no transe psicodélico e está feliz por isso acontecer.

Sorrir indica que o estado de transcendência está sendo bem aceito pelo indivíduo e que provavelmente ele terá mais momentos bons que ruins em sua experiência psicodélica, desde que tenha alguns cuidados consigo mesmo.

Sorrir é bom, mas pode se tornar aterrorizante em alguns momentos, pois a pessoa que sempre teve o ego coordenando todas as suas ações logicamente corretas, pode achar que está enlouquecendo.

Para manter o controle sobre a risadeira, feche os olhos e foque na respiração.

1 hora

E o transe de fato começa. Neste momento além das cores berrantes, algumas formas fractais começam a se formar levemente no globo ocular.

As pupilas chegam à dilatação máxima devido ao cérebro que recebeu uma carga maciça de LSD

cérebro que recebeu uma carga maciça de LSD que passa a atuar como agonista da serotonina

 que passa a atuar como agonista da serotonina, provocando sinapses que começam a ocorrer não com maior velocidade, mas com maior concentração entre o tálamo, o córtex pré-frontal medial, o córtex cingulado anterior e posterior.

Havendo maior irrigação sanguínea nestas áreas e diminuindo a atividade hemodinâmica, que ficam com 20% menos atividade cerebral nos núcleos, fazendo com que o indivíduo sinta mais profundamente os efeitos da molécula.

O LSD começa a se acumular entre os dois polos do cérebro, aonde vai sendo liberado aos poucos para a serotonina, provocando a transcendência até a décima hora depois do uso, quando começa a diminuir significativamente os efeitos.

2 horas

Depois de haver ingerido o LSD o psiconauta entra no estado de pico do transe, neste momento a atividade está plena.
Neste momento é comum o indivíduo focar em determinados aspectos da realidade que ele ainda não havia parado para observar com atençãoO cérebro diminuiu bastante sua atividade e o mundo começa a ser visto com uma lupa de aumento.

Neste momento é comum o indivíduo focar em determinados aspectos da realidade que ele ainda não havia parado para observar com atenção.

Se ele come algo, parece que aquilo foi feito pela primeira vez em sua vida e o que come tem um sabor maravilhoso. Ao beber água, por exemplo, a mesma parece um líquido divino.

As formas externas modificam-se com rapidez e começa haver uma dificuldade em focar-se em algo

As formas externas modificam-se com rapidez e começa haver uma dificuldade em focar-se em algo. É bom lembrar que a partir daqui o cérebro estará mais lento e tentando apreender a nova realidade totalmente nova.

Neste momento o ego se dilui e a percepção de identidade começa a se perder. A ligação com o Cosmos aumenta perceptivelmente, a sensação de unidade invade cada poro, cada átomo que se toca, respira, ingere, se transforma em sensações únicas e indescritíveis.

A comunicação começa a perder o sentido.

4 horas

Após a ingestão, o fluxo de energia continua a entrar por todos os sentidos. A sinestesia é alta. O som pode ser visto e as cores podem ser ouvidas. Para todos os locais que se olha se vê a vida como se tudo fosse visto pela primeira vez. É comum começar a sentir pânico nestes momentos. As sensações são tão intensas e tão boas que é comum algumas pessoas chorarem e sentirem medo do que está ocorrendo. O medo de estar enlouquecendo é natural.

o fluxo de energia continua a entrar por todos os sentidos. A sinestesia é altaÉ justamente neste momento que a pessoa tem que manter-se tranquila e esquecer um pouco do mundo externo. O bom da experiência psicodélica é justamente aproveitar para se autoconhecer, e esta prática de autoconhecimento exige que se feche os olhos e mergulhe em si mesmo em meditação.

A realidade interna de cada um agora é que fará a grande diferença. Alguns podem fazer viagens astrais, outros entrarão em paraísos cheios de cores e imagens jamais vistas, e muitos outros verão a própria vida desde a infância até a idade atual como uma forma de revisar conceitos arraigados e sofridos. É a oportunidade para deixar tudo ser levado pelo rio da psicodelia. Ser o observador das modificações que se faz em si mesmo. É o momento de entrar numa cura pessoal e adquirir paz de espírito.

6 horas de psicodelia

Tudo ainda muito forte, mas muito mais administrável. É um verdadeiro renascimento estará acontecendo, é uma modificação que será levada para a vida inteira.Neste momento o indivíduo já deve ter sorrido bastante, chorado muito, e provavelmente agora estará filosofando sobre a vida, sobre as coisas que a molécula lhe proporcionou, um verdadeiro renascimento estará acontecendo, é uma modificação que será levada para a vida inteira.

8 a 10 horas de transe

E o mesmo começa a perder potência. Ainda resta um pouco de LSD entre os polos cerebrais, mas nada que provoque as mesmas sensações anteriores. O psiconauta sente que vai chegando o momento de descansar, de guardar sua energia para pensar em tudo que lhe ocorrera no outro dia, em como a experiência tocara sua vida e como a mesma poderá lhe ser útil dali por diante.

Cadastro de Evento

Cadastro de Evento

12 horas

Depois da ingestão. A paz de espírito pôde ser alcançada. Final de transe. Hora de tentar dormir e prolongar o bem-estar pelo resto da vida. Após todo o transe psicodélico, a pessoa ficará pensando no mesmo por dias a fio, questionando-se se tudo aquilo foi real ou um sonho, e provavelmente quererá passar pela experiência novamente, para tentar compreender o estado búdico. Neste momento ele se tornará um verdadeiro psiconauta e começará a pesquisar sobre questões que tangem a realidade psicodélica, procurando se relacionar com pessoas que também fazem parte do mesmo contexto, no fito de conhecer outras experiências distintas e também compartilhar as suas.   Luz e paz a todos.

 Gostou?Então compartilhe agora com seus amigos!